Amores rotos

Certa vez confessei a ele que não guardei nada. Absolutamente nada que pudesse lembrar aquele passado. Ele disse que também não. Como se fosse possível apagar certas memórias. Mas o ser humano utiliza subterfúgios que alguns chamam de sentidos. Se não sobraram cartas e fotos que foram rasgadas, presentes doados e objetos cheios de história, por outro lado restam cheiros, sons, imagens que nunca serão passíveis de abandono.

E é possível esquecer histórias tristes de amor? E se escolhêssemos um objeto de cada amor infeliz para um museu? É o que propõe a exposição “Museu dos corações partidos”, em Amsterdã, na Holanda, com cacarecos cheios de histórias. Alguns são divertidos. E por que optar pelo humor? Porque tudo na vida é uma questão de ponto de vista.  Eu ainda não consegui achar tanta graça no sofrimento que senti. Mas sou espirituosa a ponto de admitir que sou uma dramática nata. “Drama Queen” é meu apelido. E para o museu, eu separaria uma réplica de uma rainha solitária em seu castelo.

Não deixe de conferir a reportagem aqui.

Anúncios
Vídeo | Publicado em por | 5 Comentários

Felicidade chata

– E você está feliz? É isso que importa, disse a mãe da menina.

E ela estava? Não necessariamente. A obrigatoriedade da felicidade está tornando tudo mais doloroso, difícil e chato.

Não lembro quando pequena uma cobrança de felicidade aos adultos. Eles liam romances, viam filmes no cinema, trabalhavam demais e tinham mais de um filho, o que demandava atenção. Eram ocupados demais para buscar a felicidade. Eu acho que por isso ela vinha. E algumas coisas não mudam desde que o mundo é mundo. Há dias alegres e dias tristes. Momentos inesquecíveis e outros enfadonhos. Mas a vida não é uma câmera de segurança filmando nossos percursos. Esquecemos boa parte deles. Esquecemos momentos tristes e momentos felizes. E nem sempre escolhemos um caminho porque lá seremos mais felizes. Os caminhos aparecem na nossa vida e vamos andando. Por momentos nos alegramos e outros não. A felicidade não é, e não pode ser, uma obrigação. Ela é volátil. Graças a Deus.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

#comonaoamar

beijo

Sou naturalmente desapegada. E esquecida. E estabanada. E protetora. Pareço ambígua, mas quem não é? Até eu encontrar pessoas tão leais, que fiz todas as coisas para tê-los por perto. Para protegê-los. E por isso, como uma leoa, eu cuidei. Aconselhei. Mostrei o pouco que sei sobre esta vida. Em troca recebi risadas, risadas, risadas todos os dias.. E abraços sem fim. E muito amor. Por isso, meus amores, o que desejo para vocês é amor. Para que nunca deixem de dar tantas risadas e tantos abraços. Porque eu nunca esquecerei.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Bem bonita.

penteadeira

– Hoje eu quero ficar bem bonita. Minha mãe está morrendo no hospital, disse ela.

Não que fosse dada à vaidade. Sempre foi discreta e voltada para outras prioridades. Mas aquele dia tinha sido dificil. Os médicos vieram com uma conversa franca sobre a fragilidade da sua mãe. A cura da doença não existiria mais. Então, ela teve um plano.

Definiu que faria as vontades da mãe. Arrumaria a casa com zelo. E, sim, ficaria mais bonita para aquela que a colocou no mundo. Determinou fica bonita para a vida. Embelezar-se como gratidão. Mostrar seu lado mais bonito. Quis impressionar. Não os outros. Ela disse obrigada. Pelo que se foi, pelo que se é e pelo que será. Ela ficaria bonita para o mundo.

E dessa história, eu aprendi que somente uma mente sábia é capaz de encontrar a beleza na dor. E foi então que decidi ficar bonita todos os dias. Para o mundo. Na dor. E na alegria.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Espere… já vem

caixinha-de-surpresa5

Gosto de surpresas. Não as tradicionais. Gosto das surpresas que vêm com delicadeza. Como cartas escritas à mão. Se for carta de amor, melhor ainda. Presentes pelo correio. Telefonemas inesperados. Um convite para sair naquela noite sem planos. A surpresa é um corretivo para a expectativa ansiosa. Esta nos decepcionam. Deixam-nos atormentados por notícias que nunca vem. Receber surpresas é um sinal de que estamos vivendo bem. Porque só um coração livre é capaz de sentir cada surpresa boa que chega todos os dias. Acredite em mim. Ela vai te surpreender.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O encontro – parte 2

vintage 2Outro encontro memorável é com o cara que você amou. O primeiro instante é de paralisia total. Não consegue falar nada ou tem uma crise verborrágica. Na maioria das vezes, mal consegue prestar atenção ao que ele fala. Não pergunta da família. Muito menos da atual. Se ele também não pergunta é um alívio. Naquele dia você também estava com seu vestido mais bonito, mas nem consegue jogar charme. Falam amenidades, percebe que o perfume é o mesmo e que ele ainda sorri daquele jeito. Na despedida, ele dá um beijo demorado e sussura:“você continua linda”. Cada uma vai para um lado. Sai atônita pela rua e é quase atropelada. Ah, o amor. Sempre assim. Um atropelo.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O encontro – parte 1

mulher vintage

E aí você encontra aquele ex-namorado. Os olhos dele brilham na mesma proporção em que percorrem para saber se alguém contará para atual namorada sobre o encontro. Isso só ocorre com aquele ex que você não amou. Para ele, você dá aquele sorrisão, fica à vontade, ri das novidades, pergunta da família, daquela sobrinha que já está uma moça e, num tom casual, pergunta se a namorada vai bem.. Ele faz aquela cara de que a-gente-podia-sair-qualquer-dia. Você não dá menor bola. E, geralmente, neste dia você está usando seu vestido mais florido, de bem com a vida e cabelos soltos. Ao se despedir, não olha para trás e tem a certeza que ele fixou o olhar no seu rebolado até onde a vista alcança.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário